2 meses atrás - por Yasmin Vitoria
Três curiosidades da natureza

Três curiosidades da natureza que sabemos que na Terra, há fatos que nem sempre nós questionamos, mas muitos cientistas já estudaram ou fizeram pesquisa sobre eles.

O que antes era um mistério, “um mito”, que ao ser estudado por décadas e até mesmo séculos , tornou-se conhecido por especialistas, que dividiram o conhecimento sobre alguns fatores que envolve o clima, demografia terrestre, da natureza e muitas outras coisas .

 

Conheça Três curiosidades da natureza

Três curiosidades da natureza (Foto Divulgação)

1ª – As nuvens pesam toneladas

Vemos as nuvens brancas que flutuam no céu, e imaginamos que elas são leves como algodão, mas, as nuvens são realmente muito pesadas, chegando pesar cerca de quinhentas toneladas, sendo formadas por gotículas de água.

Você deve está se perguntando, mas como ela flutua com esse peso todo ?

Bom, ela consegue isso pelo fato da atmosfera sem torno dela ser também muito pesada.

2ª – Os tornados são invisíveis

Será que temos a capacidade de enxergar um tornado ?

Bem, sabemos que o ar é invisível, então, tecnicamente falando o que vemos é uma nuvem de compensação, que tem a composição de gostas de água, e alguns detritos e sujeira.

Tudo isso se forma dentro de um funil invisível de ar que é o tornado.

Eles se formam geralmente em tempestade do tipo “supercelulas”, que seria aquele visual incrível, como uma corrente de ar gerando um movimento ascendente.

3ª – O monte Everest tem oscilação lateral e não para cima

Hoje, o Everest com seus quase nove mil metros de altura, é a montanha mais alta da terra, que está acima do nível do mar.

Com o fato de que a colisão Índia- Ásia ainda está em curso, seria correto dizer que o monte Everest continua crescendo?

Conforme cientistas, não, eles dizem ter medido meticulosamente a altura da montanha. Segundo, o professor da universidade de Trieste, Giorgio Poretti, conclui em 1995 que o Everest não está subindo a uma taxa significativa.

Em vez disso, o pesquisador observou que a colisão continental em curso entre a Índia e a Ásia está na verdade, movendo o monte na direção nordeste, com uma velocidade em torno de 42 milímetros ao ano.