4 semanas atrás - por Yasmin Vitoria
Festas Juninas

As Festas Juninas são comemorações tradicionais bastante divertidas e esperadas em inteira pedaço do nação. Isso se deve, em porções, às guloseimas comuns e também às jogos e caracterização que a festividade envolve.

Estudiosos afirmam que a Festival Junina apareceu ao Brasil por retorno do século XVII, sendo de proveniência europeia. Ao extenso do tempo, foi sofrendo influências da crença religiosa e sendo associada a uns santos. Seguidamente, foram inseridos outros fundamentos referentes à história brasiliana.

Confira umas propensões e origens dos itens curiosidades sobre Festas Juninas!

Quadrilha e vestimenta

Entre os itens juninos, estão dois que são visualizados como essenciais: a dança, mais conhecida pelo título de quadrilha, e a vestimenta típica. Outrora, por serem festas promovidas pelas bem-educado , as fêmeas tinham que utilizar vestidos voluptuosos e rodados. Daí a proveniência dos vestidos de quadrilhas, que, em nosso pátria, acabaram sendo confeccionados com tecidos mais coloridos e chamativos, especialmente com chita.

As quadrilhas detêm muito aumento na região Nordeste do nação, como em Campina Gigante , na Paraíba, aonde é efetuado um dos grandes concursos dessa gênero. Ainda sobre a dança, é viável perceber que uns dos nomes de seus populares etapas detêm procedência frances , como “anarriê”, “ ampassâ” e “ tour ”. Estes são usados em mérito da procedência da dança, já que ela é herdada das festas da aristocracia francesa.

Fogueiras

As tradicionais fogueiras das Baladas Juninas são herdadas das culturas greco-romanas e dos celtas. Esses povos cultuavam as fogueiras como tipo de agradecimento aos deuses pelas boas colheitas. Essa aplicação também foi aderida no Brasil, obrando com que esse item se tornasse mais um emblema firme da festividade. Em nosso pátria, muitos confiam que a fogueira seja uma tipo de purificação e segurança contra maus fluidos, afora de emblema da conjunto de parentes e colegas ao longo a festejo.

Bandeirolas

Afamadas como o primordial enfeite decorativo das festas juninas, as bandeirolas surgiram como aspecto de homenagem aos três santos famosos como “padroeiros” das Festejos Juninas: Santo Antônio, São Pedro e São João. As cenas dos santos eram pregadas nas bandeiras coloridas e imersas em água, rito afamado como lavagem dos santos. De coforme com a crendice público, a água purifica todos aqueles que se molham com ela. O tempo foi passando, as bandeirinhas reduzindo de dimensão, no entanto permanecem até presentemente com a mesma simbologia: de purificar o ecossistema da comemoração.

Casamento

Ainda sobre os santos , Santo Antônio ficou famoso como o santo casamenteiro. Essa “fama”, conforme uns religiosos, apareceu de requisitos feitos por moças ao santo em procura de noivo e esposo. Umas das modelos de atingir isso é botar a figura de Santo Antônio de castigo de alguma jeito. Uma das modos mais afamadas é mergulhá-lo de cabeçona para miúdo em uma bacia com água.

Ainda sobre tradições de cunho matrimonial, o conhecido matrimônio caipira chegou como tipo de deboche aos casórios clássicos , já que foge dos “padrões tradicionais”. A noivinha surge gestante e o paizão obriga o noivo a se conjugar com uma espingarda apontada para a sua ponta, dispondo o ajuda do comissário da município, que é colega da familiares da cônjuge. O teatro do matrimônio é ainda grande, já que o noivo, que está bêbado, tenta escapar sem vitória. O matrimônio caipira é finalizado com os noivos, então casados, arrastando o começo da quadrilha.