5 dias atrás - por Yasmin Vitoria
bebê com cauda

O caso do bebê com cauda em Fortaleza esse casso deixou todos da regi~]ao bem curioso e aqui em nosso site vamos aborda esse assunto.

Um bebê nasceu com cauda em Fortaleza no início deste ano. O caso chamou a atenção de médicos e virou alvo de estudo científico. Fotos de bebês já foram compartilhadas com a publicação de reportagens sobre o caso na internet. Com isso, muitas perguntas também começaram a ser feitas sobre o caso?

As fotos mostram que o bebê nasceu com uma cauda que saiu da nádega esquerda. Ainda havia algum tipo de bola na ponta da cauda. O caso foi o primeiro caso registrado no Brasil a ser comprovado cientificamente. Os pesquisadores investigaram o caso e publicaram um artigo sobre a cauda no Journal of Pediatric Surgery Case Reports.

O bebê nasceu 35 semanas prematuro e nasceu no Hospital Infantil Albert Sabin. A cauda tinha 12 centímetros de comprimento e na ponta era uma bola, que consistia principalmente de gordura e tecido conjuntivo. No primeiro ano, o bebê deve fazer um exame e fazer um acompanhamento semestral. As consultas devem ser realizadas uma vez por ano depois disso.

O bebê nasceu em janeiro, mas a cauda não foi retirada até março. Os médicos relatam que o caso precisou ser investigado antes do procedimento justamente por não ser um tipo de ocorrência comum. Depois de examinar o caso, os médicos decidiram removê-lo cirurgicamente.

Antes de remover a causa, os médicos tinham que se certificar de que a cauda não estava conectada a nenhum tipo de patologia ou estrutura da coluna vertebral. O caso não é comum, mas já foi registrado em outras ocasiões.

Grande cuidado foi tomado durante a operação para garantir que a remoção da cauda não tivesse consequências adversas – pode ser a única anormalidade visível e o diagnóstico precoce pode prevenir o desenvolvimento de graves alterações neurológicas, disse o cirurgião pediátrico Humberto Forte, orientado pelo UOL.

Para se ter uma ideia, esse tipo de anomalia só foi registrado cientificamente 40 vezes, ou seja, devidamente analisado e estudado por pesquisadores. O cirurgião Forte explica que o objetivo exato do artigo brasileiro é auxiliar na produção de conhecimento sobre esse tipo de caso, que ainda é pouco conhecido pela maioria dos médicos que nunca tiveram contato.

Embora isso seja impossível Se você sabe que este é o primeiro caso brasileiro, é verdade que foi o primeiro caso que se pretendia um estudo científico. Após a retirada da cauda, ​​denominada apêndice na literatura, foi realizado exame anatomopatológico e constatou-se que se tratava de cauda legítima.

O bebê teve a cauda removida e não apresentou complicações após a operação. A grande expectativa dos médicos é que o caso possa levar a novas descobertas, pois a causa da formação da cauda ainda é desconhecida. De acordo com o prognóstico médico, o bebê não apresentará complicações como resultado da operação bem-sucedida.

<